Não nos deem flores.

A repetição acontece, como se pudéssemos voltar todos os anos no mesmo dia e hora, voltar e voltar e voltar. Estamos, tragicamente, presas nessa mesma história por séculos.

Não quero flores no dia de hoje. Nem bombom, nem outro tipo de chocolate. Nem um vale presente, nem um cartão, nem uma mensagem hipócrita falando do falso amor e valorização. Não quero nada disso. Hoje não é um dia pra isso.

Hoje é um dia para nos lembrar da eterna (mais uma vez não saímos do mesmo lugar, presos nesse fluxo) luta da igualdade.

Não mereço flores por ser frágil, quem disse que sou?femin

Hoje eu quero poder andar na rua sem medo de ser estuprada, ganhar o mesmo que meus colegas homens, ter a mesma oportunidade de emprego, ter tarefas de casa e filhos compartilhadas, poder usar a roupa que bem entendo, decidir se quero me depilar ou não, não ser julgada pela proporção do meu corpo, ter direito sobre meu próprio corpo. Hoje que não ser “a pra casa” nem a “a pra transar”, nem a puta, nem a santinha, nem a “tão feio mulher beber igual homem”, não quero ser morta, não quero que me abusem com gritinhos e cantadas nojentas…

O que eu queria de verdade hoje é que não fossemos julgadas e discriminadas por sermos mulheres. Não me venha com flores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s