Macbeth

Macbeth

William Shakespeare

Macbeth_Cosac_naifyO autor: Nascido em abril do ano de 1564 (morto em 1616 no mesmo mês). Ator, dramaturgo e poeta, ele é tido como o maior escritor do idioma inglês e o dramaturgo mais influente do mundo. Shakespeare nasceu na cidade inglesa de Stratford-Upon-Avon, situada no condado de Warwickshire, ao sul de Birmingham.

Sinopse*: Esta edição promove o encontro de três poetas – Bandeira, Shakespeare e Auden. Manuel Bandeira também foi tradutor, especialmente de peças de teatro, como ‘O círculo de giz caucasiano’ de Brecht e ‘Maria Stuart’ de Schiller. O casal de vilões Macbeth e Lady Macbeth, que sujam as mãos de sangue para chegar ao trono da Escócia, foi encarnado por atores do cinema e teatro do século XX – Sarah Bernhardt, John Gielgud, Lawrence Olivier, Jean Vilar, Paulo Autran e Tônia Carrero, entre outros reunidos na seleção iconográfica.

Resenha: O livro em si é um dos mais famosos (uma das peças mais famosas e encenadas) de Shakespeare, que envolve a ambição e tormenta do poder, até onde o homem vai para conquistá-la? Macbeth é envolvido com os desejos de ser grande, baseados no que três bruxas “profetizam” para ele: ser rei. Sua esposa, Lady Macbeth também é diretamente envolvida, e em diferentes análises considerada a realmente “Má” da história: influência seu marido e planeja sua grande vitória.

Macbeth estava em luta, ao lado do amigo Banquo. Encontram três bruxas que fazem diferentes profecias pra ambos: Macbeth seria nomeado Tane de Glamis e Rei da Escócia e Banquo seria pai de uma linhagem de reis.

Horas depois da profecia, Macbeth é nomeado Tane de Glamis, visto que o antigo traiu o rei, e Macbeth se mostrou honrado ao posto. Fissurado nesse destino que as bruxas falaram, volta para seu reinado e junto com a esposa, planejam a morte do Rei.

Depois de conquistar o reinado tão desejado, a vitória não veio tão alegre, pelo contrário. Mais mortes foram necessárias (inclusive do amigo Banquo) e a obsessão de Macbeth o faz parecer louco. Lady Macbeth começa também a adoecer e enlouquecer. Mais guerras foram necessárias e até uma ajuda da Inglaterra se fez presente para devolver o reinado a quem é de direito.

Grande parte do elenco morre na peça, por isso é considerada uma das mais sangrentas do bardo. Apesar de não ser a mais “complexa”, há grandes análises psicológicas feitas e muito ao que se estudar sobre o mundo de Macbeth.

Referente à tradução, particularmente gostei bastante. Manuel Bandeira manteve muita coisa do “original” e adaptou muito bem, trazendo uma versão ainda mais poética. A edição trás imagens das adaptações, reflexões e textos muito bons para acompanhar e analisar a obra. Uma edição bem bonita, que foi feita pela finada editora Cosac Naify.

(Sinopse do Skoob)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s