2016, o ano em que aprendi a ter foco.

Agora em fins de Dezembro desse ano esquisito que foi 2016, notei que foi meu ano menos produtivo. Em sentido daquilo que me proponho a fazer todos os anos e daquilo que gosto de viver. Foi um ano que, penalizando todos os porém, menos me dediquei ao que me agrada: li pouco, quase não escrevi, abdiquei dos fins de semana, quase não publiquei nos periódicos que me competem, praticamente abandonei o blog, não participei de concursos.

Mas o peso dessa aceitação não me dói pra carregar. Fiz tudo isso por um objetivo antigo. Foram 2 anos de luta em vão, que só me trouxeram experiências e uma dor de desilusão. Quando o 16 apitou no relógio resolvi que faria diferente pra chegar nesse tão aguardado sonho, o que me fez deixar quase tudo de lado. Não foi improdutivo no sentido de que esse ano aprendi que quem quer faz, arruma tempo e para ter tudo isso em prática, esse foi o ano que aprendi a ter foco. Pode parecer papo pra livro de autoajuda, mas não é, é real. Se tem algo que esse dois mil e dezesseis me ensinou, foi foco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s