Shakespeare 400 – #ShakespeareLives

E no último dia 14/04 participei do primeiro de uma série de eventos que o British Council está promovendo em comemoração aos 400 anos de morte de William Shakespeare.foto 3 (3)

O evento foi um debate que reuniu JôSoares, Gabriel Villela e Greg Hicks foto 4 (1)com a curadoria de Nelson de Sá. Houve leitura por parte do Jô, que leu uma cena da peça Tróilo e Créssida, a qual traduziu e está dirigindo uma adaptação. Hicks também fez uma leitura de um trecho de Macbeth, peça em que ele dirige em São Paulo a partir de 20 de Abril. Villela levou a cena do balcão de Romeu e Julieta que dirigiu e foi encenado no Globe Theater.

Foi bem bacana, houve discussão sobre outras peças, adaptações e o que tem aparecido de novo no Brasil. Falou-se sobre e eternidade e contemporaneidade de Shakespeare, além de histórias e a personalidade do próprio bardo. Além de tudo, ganhei uma edição de Hamlet, nessa nova tradução que saiu há pouco tempo pela Companhia das Letras.

Pra quem é fã de Shakespeare, vale ficar de olho, diversos eventos tem acontecido e estão pra acontecer nos próximos dias.

 

Feira livro CCJ 2016

Hoje fui a minha terceira feira do livro do CCJ. Seguindo a tradição desses anos (quer recordar o primeiro e segundo?), estou aqui para falar de mais esse! (Apesar de ser a minha terceira participação, é o quarto ano que o centro cultural promove a feira)

Primeiro ano sem a Cosac Naify, o que é triste. Foi na primeira feira que consegui comprar meus primeiros livros da Cosac. Pra quem ainda não sabe, a feira trás livros das editoras com no mínimo 50%.

Esse foi também o primeiro ano que consegui ir no primeiro dia, e vale a pena! Primeiro, é um dia tranquilo. Da pra ver os livros com calma, passear pela feira sem ser amassado e o melhor: várias edições especiais que chegam em número reduzido ainda estão lá. Não tem falta de livros, como já sofri em outros anos.feira-do-livro-ccj-2016

Agora em 2016 aproveitei pra comprar vários livros da editora 34. Eles têm um catalogo incrível com edições bilíngues de clássicos gregos, latim, alemão, italiano (foram as edições que comprei rs).

Aproveitei também algumas promoções da Editora Cultrix. No total foram 13 livros (não me lembro exatamente quantos já comprei na feira, mas acho que foi meu recorde).

Como todos os anos, esse também vale à ida. Pelo que me lembro das editoras passadas, esse ano estamos com novas editoras (a Aleph é uma delas).

O mais bacana dessa feira é que conseguimos comprar livros muito bons, que são caríssimos, por preços acessíveis. Principalmente livros técnicos. Quem é fã de filosofia, design, literatura e história vai encontrar uma paraíso lá. Fora que tem bastante livro “popular”, e clássicos de diferentes traduções e editoras.

Além dos livros das editoras já tradicionais, tem livros de escritores independentes, quadrinhos, camisetas, bottons e várias coisinhas legais. Tem também outras coisas rolando no CCJ durante a feira e da pra aproveitar. Hoje tinha um pessoal declamando poemas.

Mas a dica é: vai logo. De preferencia amanhã cedo. Quanto mais demora, menos opções sobram. No domingo à tarde é legal aparecer por lá pra ver se tem algo sobrando ainda mais barato, mas ressalto: alguns livros vêm em quantidade pequena e acabam no primeiro dia.

Corre lá que ainda da tempo de pegar muita coisa boa! Mais informações aqui.

 

Flipobre – A iniciativa para os escritores pobres.

Vocês conhecem a Flipobre?

Bom, essa é uma feira literária diferente, que nasceu com o idealizador Diego Moraes, que cansado de ser excluído da Flip criou o evento que chama de “os escritores com o nome no serasa”.

O evento aconteceu nesse domingo dia 7, infelizmente não consegui acompanhar devido ao fuso horário em que estou essa semana, mas diversos assuntos foram abordados e podem ser vistos agora pelo canal da Flipobre no Youtube.

As mesas de debate foram em cima de assuntos interessantes e importantes para o meio literário: Lima Barreto, Machismo na Literatura, Número de escritores vs números de leitores no país, Editoras e sua real necessidade, entre outros abordados.

O objetivo do Diego é simples: mostrar que os bons escritores não estão só nas grande feiras.

O projeto teve relevância na rede e ganhou diversas reportagens no país todo, o que é ótimo! Quem quiser acompanhar também a página do Facebook é só clicar aqui.

Balada Literaria 2014.

Para os baladeiros de plantão, começou ontem (dia 19/11) a Balada Literária em São Paulo. Em sua nona edição a balada vai até domingo, dia 23 e acontece em importantes pontos de divulgação literária na cidade. O projeto é idealizado pelo Marcelino Freire.

Dentre as atrações, minha amiga Sheyla estará no dia 23 com outros novos autores no b_arco. A Maria Resende também está na Balada lançando seu livro Carne do Umbigo, no domingo também.

Não percam essa incrível balada pra esse feriado prolongado.

23º Bienal Internacional do Livro – Resenha

Hoje prestigiei a 23º Bienal Internacional do Livro e trouxe pra vocês as novidades da feira e algumas dicas.

Para chegar até lá, se você não for de carro, no metro/ terminal rodoviário do Tietê tem ônibus disponível (gratuito) que te leva até o evento, ótima opção. Se for no fim de semana, além da opção no Tietê tem a opção na Barra Funda, também gratuita e aparentemente um pouco mais vazia,os ônibus saem do lado do Memorial da América Latina, o ruim é que não tem nenhum placa informativa na estação. Fui com essa segunda opção e foi ótimo, cheguei rápido e confortável. As opções são válidas para a volta também.

 

Cheguei lá por volta das 14h40, imaginando que a fila pra compra de ingresso estaria vazia. Ledo engano, a fila estava enorme, dava volta e passava o hotel (quem não conhece o Anhembi, atrás do pátio de exposições existe um hotel). E apesar de monstruosamente assustadora, a fila estava rápida. Fiquei nela uns 15/20 minutos, nada parado uma fila que andava bem. Na hora da compra do ingresso eles estava um pouco atrapalhados, a fila lá fora era enorme, mas tinha bastante caixa vazio. O atendimento para venda dos ingressos estava bem rápida.

Pontos bons:

– Pagamento em cartão aceito (antigamente não aceitavam)

– Você pode comprar pela internet e pegar o ingresso lá.

– A meia entrada, além do habitual (estudantes, professores de escolas públicas, crianças e idosos) tem opções bem legais, uma delas é que quem tem celular Samsung paga meia! #SamsungWins

– Quem tem bandeira de determinado cartão consegue pegar ingresso de graça (não me recordo exatamente qual é, mas imagino que seja Elo).

Pontos ruins:

– Fila grande em pleno Sol da tarde sem nenhum vendedor de bebida

– Não vi fila preferencial (absurdo), na fila comum vi pessoas com crianças pequenas, idosos, deficientes.

– O grupo que cuida da venda de ingressos estava mais perdido que outra coisa com o pessoal que vinha com a compra online, ninguém sabia o que fazer, como trocar…

Fotinho básica da fila ao fundo:

2014-08-24 15.26.41

Ingresso comprado entrei na Bienal, o esquema é o mesmo desde sempre (decoração também rs).

2014-08-24 15.45.32

O local estava cheio, e o que mais me impressionou foi o número de adolescentes e o volume de livros infanto-juvenil que eles carregavam consigo, muitos acompanhados de pais, avós, irmãos mais velhos.Parte daquela multidão estava ali por Cassandra Clare, autora da série Instrumentos Mortais. Muitos jovens ali estava inclusive caracterizados para isso. A hora que cheguei ela não estava mais lá, então não tive o prazer de vê-la.

Apesar do número de pessoas, a organização do evento estava impecável. Não esqueçam, assim que chegar pegar um mapinha do local, senão vocês podem fazer como eu e ficar meia hora rodando no mesmo lugar rs.

O esquema de visita à alguns stands foi diferente esse ano, grandes editoras como: Intríseca, Panini e Companhia das Letras restringiam o número de pessoas dentro do stand, sendo assim uma pequena fila pra entrar. Nada demorado, em nenhuma delas, proporcionalmente a liberação de pessoas para saída era liberado para a entrada. Foi ótimo o esquema pois, não precisava travar uma guerra de gladiadores dentro do lugar, podia ver os livros com calma. Diferentemente de uma Saraiva, que apesar do tamanho do stand estava lotado e difícil de escolher os livros.

O que achei um pouco ruim e me assustou foram os preços dos livros. Nada muito diferente do que comprar fora dali, poucas editoras e livrarias estavam com promoções realmente boas, do resto, o máximo que conseguíamos eram descontos de 15 a 20% (para quem compra um volume maior, geralmente esse desconto aumenta, mas nada que chegue aos 50%). A tendência agora é que vá diminuindo o preço dos livros, já que esse foi só o primeiro fim de semana.

O legal desse ano é que vi muitos autores iniciantes, e vários experientes autografando e palestrando. Em anos anteriores também tínhamos, mas em volume bem menor, no tempo que fiquei lá vi muito autor sendo prestigiado.

Se você vai comer lá, se prepare. Os preços na praça de alimentação são absurdos e fora da realidade. O pior que vi foi um Milk Shake do Bob’s tamanho pequeno por nada menos que R$10,00. Isso mesmo gente, 10 dilmas por um Milk Shake mau feito e de tamanho pequeno. Vale muito mais comer fora da feira. Fora que a água lá dentro eu paguei nada menos que R$ 5,00. Não me conformo 😦

Voltando a feira rs, os stands estão muito lindos, vale apena ver. Trouxe algumas fotos:

2014-08-24 15.52.29 2014-08-24 16.42.32 2014-08-24 17.18.21 2014-08-24 17.18.42 2014-08-24 17.55.04 2014-08-24 17.59.27 2014-08-24 18.02.15 2014-08-24 18.29.27 2014-08-24 19.21.23

O evento é grande, então separe um longo período do dia para conseguir ver tudo. Principalmente se for em um fim de semana quando é mais lotado. Pesquise bem, os stands possuem ótimas oportunidades de compra. Tem alguns stands de livrarias que também estão com oportunidade boas para compra.

E por fim, não fiz muitas compras, mas comprei coisas ótimas.

1) vergonhosamente nunca li A Metamorfose do Kafka, comprei uma edição para me redimir de tal pecado. Paguei R$19,00 na Companhia das Letras

2) Lá também comprei o livro A Vida do Livreiro A. J. FIrky, foi R$20,00

3) Na Rocco, enquanto olhava alguns livros meu irmão encontrou em uma pilha no canto de uma prateleira um livro chamado Quem ama Literatura Não estuda Literatura. Comprei rs, vamos ver o que dará. Ele saiu por R$ 20,50.

2014-08-24 20.24.36

Aproveitem a feira para conhecer também as editoras menores, que possuem ótimos livros com autores muito bons. Além é claro de aproveitar as pechinchas que podemos conseguir. Em um Stand (que vergonhosamente esqueci o nome) encontrei HQ’s antigos por ótimos preços, comprei um do Capitão América de 72 (nem colorido era), por R$ 20 e um do Homem-Aranha de 84 por R$ 10. Eles forma presente pro meu noivo :).

É isso pessoal, espero que possam ir e aproveitar. Ainda tenho a intenção de ir na próxima terça com uma amiga!

 

Bienal do livro 2014

Dia 22 (próxima sexta) inicia a Bienal do Livro 2014. Ela acontecerá em São Paulo e vai até o dia 31/08.

Dando uma conferida nas páginas das principais editoras e livrarias, já vi que teremos ótimas atrações, bastante novidades e vários autores autografando! Dentre as atrações teremos a Cassandra Clare, autora da série Os Instrumentos Mortais. Se você está interessado em algum outro autor e não sabe se ele vai, aqui tem uma lista completa. As demais atrações vocês podem conferir aqui.

Para ajudar, a Bienal criou um Guia que está muito legal!

Como boa viciada em livros, estarei na Bienal também, provavelmente na própria sexta e/ou no domingo. Ainda estou decidindo. Mas trarei para vocês todas a novidades e o que aconteceu lá. Na última bienal tive o prazer de conhecer o Mauricio de Souza e ganhar um autografo e foto com ele. Vamos ver o que teremos esse ano!

Enjoy!

Livre Opinião na Flip-2014

Cobertura do pessoal do Livre Opinião na Flip! Acompanhem, vale super apena 🙂

Livre Opinião - Ideias em Debate

fliplivre

Pela primeira vez, o Livre Opinião estará na Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) para uma cobertura especial dos eventos que serão realizados entre os dias 30 de julho a 3 de agosto. A cidade estará repleta de nomes consagrados da cultura nacional e internacional, na edição deste ano o homenageado será o escritor Millôr Fernandes.

Confira a programação de três eventos que o Livre Opinião estará presente, tendo grandes nomes da cultura para debates relacionados a diversos temas:

PROGRAMAÇÃO OFICIAL – A programação que está repleta de grandes nomes da cultura nacional e internacional. No evento, estarão os escritores Silviano Santiago, Antonio Prata, Gregorio Duvivier, Marcelo Rubens Paiva, entre outros.  Os nomes internacionais incluem os jornalistas Glenn Greenwald, David Carr e Andrew Solomon; a britânica de origem indiana Jhumpa Lahiri e a neozelandesa Eleanor Catton. O destaque neste ano é o escritor Vladímir Sorókin, primeiro autor russo a participar do evento.

Ver o post original 158 mais palavras